Jovens Metodistas Unidos combatem cólera em Angola

Other Manual Translations: English

Em Luanda, capital de Angola, um surto de cólera no final do verão - uma infecção gastrointestinal aguda - preocupou os líderes da igreja local e as autoridades de saúde. Água e alimentos contaminados, incluindo peixes crus ou mal cozidos e mariscos, são causas frequentes da doença. Água suja e falta de saneamento são outros factores.

Em resposta, a Associação de Defesa Ambiental, Rede Ambiental Maiombe, mobilizou mais de 200 jovens para participar de uma campanha de prevenção. Vestidos com camisetas brancas, eles se juntaram a uma campanha de prevenção contra a cólera em Funda, uma cidade a 30 quilómetros do centro de Luanda. No município de Cacuaco, os jovens distribuíram hipoclorito de sódio, sabão, sacolas plásticas e panfletos informativos para as pessoas que moram perto do rio, área fortemente afectada pelo surto.

Recentemente, segundo a Angop-Angola Press, 16 novos doentes de cólera foram admitidos no hospital de Cacuaco, e três deles morreram. Desde que este surto começou, 65 pessoas sucumbiram à doença. No entanto, os incidentes reduzidos de cólera e as mortes causadas pela doença indicam que os esforços de conscientização estão colhendo resultados.

Mauro de Oliveira, um jovem adulto que participou na campanha, disse: “Como Metodistas Unidos, devemos apoiar as causas e problemas sociais em que as comunidades vivem. A experiência passada nos custou muitas vidas humanas. Perdemos muitos irmãos e irmãs quando a doença da febre-amarela atingiu nosso país. Agora que ouvimos falar deste surto de cólera, estamos aqui para dar o apoio necessário. Juntos, podemos superar essa doença”

O Conselho de Saúde da Igreja Metodista Unida continua a divulgar informações sobre a prevenção da cólera nos eventos da igreja local e nos cultos dominicais. As congregações convidam equipes médicas para fornecer assistência médica gratuita. As pessoas aprendem a se proteger da doença.

A igreja já não pode conseguir fornecer mais suprimentos. Contudo, em cooperação com o governo, os Metodistas Unidos continuam a sensibilizar e distribuir folhetos. Durante os cultos, pastores e outros falam sobre cólera.

Januário Augusto, presidente da Rede Ambiental Maiombe, prometeu continuar com as campanhas de consciencialização, especialmente durante a próxima estação chuvosa. Ele ressaltou “a necessidade de estar em estado de alerta com as pessoas que vivem em áreas vulneráveis da cidade.”

Augusto Bento é um Comunicador da Metodista Unida na Conferência Anual do Oeste de Angola.

 

Contacto de mídia para notícias: Vicki Brown, editora de notícias, newsdesk@umcom.org ou 615-742-5469. Para ler mais notícias da Metodista Unida, subscreva para o digest diário ou semanal.

Último artigo