Tribunal anula regra de 2016 para os bispos fora dos EUA

Other Manual Translations: English español

O principal tribunal da Igreja Metodista Unida declarou “nula e sem efeito” uma ação legislativa de 2016 que mudou os requisitos de aposentadoria para os bispos da conferência central.

A legislação adotada pela Conferência Geral de 2016, violou a própria política da assembléia legislativa. A decisão do Conselho Judicial foi tomada porque o Comitê Permanente sobre Assuntos da Conferência Central não revisou ou relatou a legislação. As conferências centrais representam membros da igreja fora dos EUA e seus territórios.

O tribunal também emitiu uma decisão sobre a decisão de um bispo de 2018 sobre dois candidatos a clérigos na Conferência de Baltimore-Washington.

Essas decisões fizeram parte de uma sessão especial realizada de 19 a 21 de fevereiro pelo Conselho Judicial, que deliberou principalmente sobre os itens mantidos em outubro de 2018 . Os membros do conselho permanecerão em St. Louis durante toda a Conferência Geral especial da denominação, de 23 a 26 de fevereiro.

A Conferência Geral de 2016 adotou o Item 218 do Calendário, que, conforme alteração, mudou a data de aposentadoria de um bispo em uma conferência central de um ano, para três meses após o encerramento da Conferência Geral “se o 68º aniversário do bispo for alcançado no dia ou antes do dia da abertura de sua conferência,  programada em 1 de janeiro de 2016.”

O “papel e função” do Comitê Permanente sobre Assuntos da Conferência Central, como o Conselho Judicial mencionou na Decisão 1370 , “é revisar todas as petições e resoluções legislativas relativas às conferências centrais e recomendá-las diretamente à Conferência Geral para promulgação”.

Neste caso, tal revisão não aconteceu, tornando a adoção da legislação “nula e sem efeito”. Uma vez que essa decisão foi tomada, disse o Conselho Judicial, não havia necessidade de considerar se a linguagem disciplinar relacionada à legislação era inconstitucional.

Uma decisão de lei de 2018 do Bispo de Baltimore-Washington, LaTrelle Easterling, foi confirmada em parte e revertida em parte pelo Conselho Judicial. Easterling havia decidido que dois indivíduos aprovados pelo Conselho de Ministros Ordenados da Conferência não eram elegíveis para ordenação e comissionamento .

O Rev. Mark Gorman colocou dois questionamentos para Easterling durante a sessão anual da conferência. As perguntas estavam relacionadas com a política do Conselho de Ministros Ordenados de não considerar ou avaliar a orientação sexual ao entrevistar candidatos para ordenação.

Ele perguntou se a conferência deve excluir o relatório da diretoria "referente à eleição de candidatos a membresia ou filiação provisória" porque a política não é compatível com a lei da igreja. Após a conferência, Easterling decidiu essa questão irrelevante, uma decisão que o tribunal afirmou na Decisão 1368 .

A decisão de Easterling sobre a segunda questão da lei, removeu dois candidatos que compartilharam por escrito, que eles eram casados com pessoas do mesmo gênero, em consideração pela sessão do clero. O Conselho Judicial reverteu essa decisão “porque violava a separação de poderes ao interferir nas responsabilidades e direitos da sessão do clero”.

O conselho explicou que um bispo não tem autoridade para “impedir que a sessão do clero cumpra suas responsabilidades, ou para excluir indivíduos que se apresentem como candidatos para comissionamento ou ordenação”.

Em outros assuntos, o Conselho Judicial disse que não poderia atuar em uma apelação feita por um advogado para a Conferência de Ohio Oeste. A apelação trata de uma decisão do tribunal jurisdicional relacionada às acusações feitas contra o Rev. David Meredith. O pastor de Cincinnati se casou com seu parceiro do mesmo sexo de quase 30 anos em 2016.

Quando o Comitê Jurisdicional de Apelações do Nordeste emitiu uma decisão sobre os erros cometidos pelo comitê de investigação da Conferência de Ohio Ocidental - enviando o caso de volta à conferência - o comitê de apelação também pediu à conferência que suspendesse qualquer outro processo judicial até depois da Assembléia Geral Extraordinária. Conferência concluída.

No Memorando 1374 , o Conselho Judicial disse que não tinha jurisdição para emitir uma decisão porque o conselho da igreja não tinha autoridade para “prosseguir com o agravo”. Em uma nota de rodapé para o indeferimento do recurso, o tribunal disse que sua ação não deveria ser tomada, porém a corte afirmou que essa decisão não deveria ser lida como um endosso do comitê jurisdicional em ordem de apelação para “pausar” o processo contra Meredith.

Dois dos acórdãos do tribunal de Fevereiro são relacionados com decisões de lei do Bispo John Schol para a Conferência da Grande Nova Jérsia.

Uma decisão dizia respeito ao fato de o bispo e os comitês ou agências da conferência,  terem autoridade para participar de uma ação em nome da conferência anual que tratava da segregação de estudantes de escolas públicas negras e latinas em Nova Jersey. O conselho de administração da conferência e outras 11 agências apoiaram "ser um autor" quando o processo foi aberto em 17 de maio e a conferência anual votou para confirmar essa decisão em 21 de maio.

Quando um membro leigo solicitou uma decisão de lei sobre as linhas de autoridade naquela situação, Schol determinou que o conselho de administração tinha autoridade para tomar a ação inicial de se juntar à ação, e então apresentar a legislação para que a conferência anual decidisse se continuaria a ser um autor.

Mas na Decisão 1371 , o Conselho Judicial decidiu que, por não ser uma questão relativa à propriedade ou direitos de propriedade, o conselho de administração não tinha autoridade para participar do processo em nome da conferência, independentemente das preocupações com a segregação no estado. sistema educacional do estado.

"Os interesses e compromissos por parte da Conferência Anual da Grande Nova Jersey e o desejo da conferência anual de participar da ação não estão em questão", disse o tribunal ao reverter a decisão do bispo.

Na segunda decisão relacionada à Grande Nova Jersey, Decisão 1372 , o Conselho Judicial concordou com a decisão do bispo de que uma solicitação de uma decisão de lei sobre as conferências da igreja local não se referia aos assuntos da conferência anual, mas a corte reverteu a outra parte da decisão de direito de Schol e disse que não poderia "conter uma disposição alternativa baseada em um cenário hipotético".

Em outro assunto, e respondendo a um apelo administrativo do Rev. Eric Seise, o conselho se dirigiu a Comissão Jurisdicional do Sudeste sobre os Recursos para emitir uma nova decisão. Seise foi colocado em licença involuntária de ausência pela Conferência da Flórida, que interrompeu sua filiação provisória.

O comitê de apelações não tinha informações suficientes em sua “opinião surpreendentemente breve”, disse o Memorando 1373 . “Sem uma opinião de apelação bem fundamentada que inclua os fatos, a história processual, as autoridades legais e a análise do caso, o Apelante não pode entender o raciocínio da decisão e preparar adequadamente sua apelação, nem o Conselho Judicial pode analisar e julgar adequadamente os méritos do seu caso ”, disse o memorando.

No Memorando 1369 , o Conselho Judicial disse que não tinha competência para considerar um pedido da Conferência do Norte do Texas porque envolvia uma decisão parlamentar do Bispo Michael McKee, e não uma decisão de lei.

* Bloom é o editora assistente de notícias do United Methodist News Service e está localizada em Nova York.

** Sara Novaes é tradutora independente. Para contatá-la, escreva para IMU_Hispana-Latina @umcom.org

Último artigo

Preocupações Sociais
Um culto de ordenação e comissionamento da Conferência do Norte de Illinois ocorreu no dia 2 de junho no Centro de Convenções Renaissance Schaumburg, em Schaumburg, Illinois. A conferência ordenou dois diáconos e sete presbíteros, incluindo um diácono abertamente transgênero. Quatro foram comissionados como diáconos provisórios, incluindo dois candidatos abertamente LGBTQ. Dois candidatos foram contratados como anciãos provisórios. Imagem de vídeo, cortesia do livestream da Conferência Northern Illinois.

Duas conferências dos EUA ordenam, comissionam o clero LGBTQ

Três clérigos LGBTQ foram ordenados ou comissionados como diáconos Metodistas Unidos pela Conferência Northern Illinois, e a Conferência de Baltimore-Washington ordenou um ancião LGBTQ e contratou um diácono provisório gay.
Área Geral da Igreja
Depois da votação de 26 de fevereiro de 2019, que fortaleceu as políticas da igreja sobre a homossexualidade, o delegado Ian Urriola de Nova York fala com outros delegados que, em protesto, formaram um grande círculo no centro do plenário. Foto de Paul Jeffrey, Notícias MU.

Igreja continua em luta com o voto da CG2019

A decisão da Conferência Geral Metodista Unida de 2019 não foi a última palavra para muitos na denominação. Aparentemente todos os dias surgem uma nova declaração pública em apoio ao povo LGBT e seu papel na Igreja Metodista Unida ou em defesa do Plano Tradicional, que afirma que a homossexualidade é “incompatível com o ensino cristão”.
Área Geral da Igreja
No sentido horário a partir do canto superior esquerdo: Bispo Samuel J. Quire Jr., Conferência Anual da Libéria de 2018, foto de E Julu Swen; Equipe de louvor na Conferência Anual Califórnia-Nevada de 2015, foto de Koua Vang; Cálices e pão na Conferência Anual Dakotas de 2015, foto cortesia da conferência; Bispo Rosemarie Wenner, Conferência Anual Sul da Alemanha 2015, foto de Klaus Ulrich Ruof; participantes da Conferência Anual de Kentucky 2017, foto por Kathleen Barry.

O futuro foco da igreja nas conferências anuais

As resoluções que lidam com a sexualidade, a administração ambiental e o slogan da Igreja Metodista Unida estão entre os tópicos que o clero e os membros leigos enfrentam nas conferências anuais da denominação de 2019.